Início > Polícia > Polícia aponta mais 3 acusados de vazar fotos eróticas de alunas

Polícia aponta mais 3 acusados de vazar fotos eróticas de alunas

Mídia News

A Polícia Civil, por meio da Delegacia de Defesa da Criança e do Adolescente, descobriu que são quatro os responsáveis pelo vazamento, na Internet, de fotos íntimas de três alunas do Colégio Maxi, em Cuiabá.

Um deles, o estudante identificado como “Pedro”, de 18 anos, foi preso na manhã de sexta-feira (15),  em sua casa, no bairro Santa Helena, onde os policiais apreenderam a memória do computador com as fotos, conforme MidiaNews revelou com exclusividade.

Segundo policiais da equipe que investiga o caso, os outros três envolvidos são adolescentes, mas não revelaram se eles também postaram as imagens na Internet. As investigações continuam.

De acordo com as informações, só Pedro foi flagrado armazenando as fotos em seu computador. Também não foi revelado se os adolescentes são alunos da escola.

Na delegacia, Pedro foi autuado pelo crime de armazenagem e divulgação de conteúdo pornográfico de crianças e adolescentes, previsto no artigo 241 do Estatuto da Criança e do Adolescente.

O estudante confirmou ter recebido as imagens de uma “paquera”. Contudo, negou ter feito as postagens.

Ele disse que desconhecia que era proibido armazenar, tanto em celular como em computadores, imagens pornográficas envolvendo crianças e/ou adolescentes.

O caso

Segundo os policiais, o caso começou a ser investigado há 30 dias, após os pais das três jovens, a pedido da instituição de ensino, procurarem a Polícia Civil.

A delegada teve auxílio da Coordenadoria de Inteligência Tecnológica (Cintec), da Polícia Civil, coordenada pelo delegado Anderson Veiga.

As próprias jovens fizeram as imagens em telefones celulares e, supostamente, as teriam enviado a um ou mais colegas.

Com a rápida propagação das fotos, as alunas se tornaram o principal assunto nos corredores do colégio, que é considerado “de elite” na Capital.

São duas séries de fotos. Em uma delas, uma aluna fez os registros em seu quarto, sozinha, se posicionando em frente um espelho.

As outras fotos foram feitas por duas alunas que, vestidas com o uniforme da escola, simulam uma cena de lesbianismo.

Como a pena é de até quatro anos, a delegada Alexandra Fachone arbitrou a fiança de R$ 3.110,00 e, após o pagamento, Pedro foi colocado em liberdade.

Segundo as informações, o jovem não estuda mais no Colégio Maxi, pois concluiu o Ensino Médio.

Anúncios
Categorias:Polícia
  1. Nenhum comentário ainda.
  1. No trackbacks yet.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: